Em essência, um NAS é utilizado na maioria das vezes para o armazenamento e compartilhamento de arquivos através de uma rede local, mas alguns storages de última geração podem fazer muito mais. Nosso objetivo é orientar qual a melhor solução para cada necessidade.

Como sabemos, o NAS é um dispositivo de armazenamento conectado a uma rede LAN e é composto basicamente por unidade(s) de processamento(s), discos rígidos e softwares. Em geral, o storage é essencialmente um repositório centralizado de dados, podendo ser utilizado como servidor de arquivos, backup de servidores e/ou estações, área de compartilhamento, colaboração e outras aplicações relacionadas a administração, processamento dos dados e armazenados na rede local.

NAS ou DAS?

O Network Attached Storage tem como característica comum sua conexão através de uma ou mais portas de rede LAN, enquanto storages DAS ou Direct Attached Storages são dispositivos de armazenamento conectados diretamente a computadores, sejam eles servidores ou estações de trabalho. Portanto a principal diferença entre um NAS e um DAS é que o primeiro é um repositório de informações para a rede LAN e o segundo é uma “extensão direta” ou disco complementar de um servidor.

Até pouco tempo atrás, a maioria dos NAS eram usados apenas para armazenar e compartilhar pastas através de uma rede, porém novos equipamentos com processadores de alta performance e discos rígidos mais velozes e seguros e recursos incorporados como o protocolo iSCSI tem invadido cada vez mais o espaço dos servidores e storages DAS.

Essas unidades de última geração realizam tarefas que antes eram quase exclusividade de servidores e/ou storages DAS, por isso escolher qual storage comprar pode ser causar alguma confusão. Apresentaremos aqui o que é necessário saber antes de adquirir um storage.

NAS: Servidor ou storage de rede?

Essencialmente, um NAS é um servidor de rede que pode ser usado como repositório de informações, sistema de backup ou área de armazenamento compartilhada, porém também pode ser usado como servidor multimídia, suportando inclusive padrões como UPnP e DLNA. Estes protocolos facilitam as conexões dessas unidades com outros equipamentos como consoles de jogos, tablets e smartphones. Além disso, network attached storages também podem ser configurados como servidor FTP, WEB, de email ou servidores de impressão.

apacidade e Performance x Preço

O principal objetivo de um NAS é armazenar, centralizar e compartilhar informações, por isso identificar corretamente a capacidade em terabytes na hora de escolher o sistema de armazenamento é essencial para uma compra correta.

A maioria dos consumidores domésticos e pequenas empresas buscam discos SATA na hora de adquirir o storage, porém existem aplicações que necessitam HDs mais robustos e/ou velozes, que inevitavelmente custam mais caro. Para saber mais, acesse nossa página sobre storages SAS.

Abaixo algumas características que devem ser consideradas na escolha dos discos rígidos do sistema:

  1. Categoria do disco (SATA, SATA para Storage e SATA Enterprise);
  2. Capacidade e velocidade em RPM;
  3. Consumo elétrico e vida útil do produto;
  4. Reputação do fabricante e tempo de reparo do produto;

Como explicado, antes de comprar um storage vale a pena calcular o espaço de armazenamento bem como a performance necessária para as atividades planejadas no sistema, pois isso evitará uma série de aborrecimentos. Comprar storages sem prever tempo de processamento e o espaço exigido pelas tarefas que serão executadas pode causar perda de produtividade ou desembolso desnecessário ao adquirir equipamentos superestimados.

Storages NAS de classe enterprise

Alguns storages NAS de classe empresarial (enterprise) permitem receber expansões, crescendo de acordo com a demanda por armazenamento e atingindo literalmente petabytes de informação. Outro recurso que deve ser observado é a possibilidade de instalação de memórias SSD no storage, pois permite que atividades do cotidiano sejam realizadas com maior velocidade.

Esse recurso até pouco tempo era privilégio de equipamentos para datacenters e grandes sistemas de processamento, mas hoje está disponível na maioria dos storages SMB de boa qualidade.

Os servidores NAS direcionados para consumidores domésticos ou pequenas e médias empresas muitas vezes têm capacidade nativa expansível através de portas USB ou Mini SAS, permitindo assim conectar expansões de armazenamento diretamente no equipamento. Graças ao suporte iSCSI, equipamentos como os NAS da Qnap permitem a criação de unidades de discos virtuais e escaláveis, permitindo assim o armazenamento flexível e on-demand das informações geradas.